Quarta, 21 Março 2018 09:03

Assistimos Tomb Raider (nós três e mais seis pessoas na sala de exibição) Destaque

Escrito por David Rastelli
Avalie este item
(0 votos)
Para os leigos a nota é 7, para os fans o filme tem nota 1 Para os leigos a nota é 7, para os fans o filme tem nota 1 foto reprodução

Sinto-me obrigado a dividir esta resenha em duas partes. Calma, eu NÃO falarei tudo que estou pensando. De outra forma ninguém leria.

(EDITADO): O 3D é uma fraude. O filme não é 3D e você recebe o óculos só para não ver borrado. Pura fraude para cobrar mais caro. Obs: vimos 3D porque só tinha 3D.

A primeira parte é para as pessoas que não jogam/jogaram Tomb Raider, e que ou não conhecem coisa alguma ou apenas conhecem os filmes de 2001 e 2003.

Nota: 7.

É um bom filme, com um ritmo bem montado, cenas bacanas de ação. Apresenta uma heroína jovem, aprendendo a se virar. Uma jovem Lara, de personalidade forte que optou pela independência forçada e suada, como modo de se segurar à imagem do pai, recusando-se a aceitar sua morte. Dados os muitos grandes filmes que virão semana após semana, não sei se vale a pena deixar de ver os próximos para ver Tomb Raider no cinema, mas ainda vale aquela olhada na Netflix ou na Tela Quente em um futuro distante.

Esta segunda parte eu endereço às pessoas que jogaram Tomb Raider, principalmente o de 2013, que curtem a franquia e a acompanham em algum nível.

Nota: 1.

Tomb Raider A Origem é a "Caveira de Cristal" da franquia TR. 

CHEGA DE PORRA DE FILME DE ORIGEM!

CHEGA DE TIO BEN!

PAI DA LARA DE NOVO O CARALHO!

LET IT GO, FILHASDAPUTA!

Como esperado e predefinido no momento que escolheram uma oscarizada para o papel, o filme irrita por sua falta de coragem em se decidir se seria uma cópia do jogo de 2013 ou uma nova história. A palavra que resume é "forçado". Inventaram uma Lara teimosa, com motivações pífias, com cenas que tentam lhe dizer que "ela tem algum treinamento" antes do bicho pegar. Inventaram sete anos de recusa em aceitar a herança Croft, mostrando a jovem fazendo bicos de entregadora, participando de uma corrida por dinheiro e penhorando uma relíquia, única que possuía de sua mãe que lhe foi dada pelo pai desaparecido.

Claramente, quem guiou os acontecimentos do filme não entendeu o jogo que se propôs mal-copiar. O jogo de 2013 começa no barco, com UMA EQUIPE, na maioria de jovens inexperientes que foram convencidos pela JOVEM ESTUDANTE, filha do grande pesquisador, a investigar as pistas ESTUDADAS POR UM LONGO TEMPO por Lara. De cara você conhece Samantha, a melhor amiga de Lara. No decorrer do jogo, todos estão separados e é a enorme amizade da jovem arqueóloga que a move adiante. Ela é humana em ter frio, fome, medo e gradativamente vence essas amarras não por um motivo batido, remoído e terrivelmente tedioso como "salvar o papai", mas para salvar os colegas e a melhor amiga, que ela Lara, colocou em perigo ao insistir para que a acompanhassem.

Como esperado, Alicia Vikander não convence como heroína de ação. Forçam cenas onde claramente não seria possível ela sobrepujar, não pela astúcia, mas pela pura força bruta. Tudo que conseguem é um louva-a-deus de músculos definidos viciada em supino e whey, espancando caras com o dobro do tamanho.

O filme força diálogos famosos dos jogos em cenas nada a ver que ao invés de easter eggs se tornam insultos aos fãs.

O filme força a cópia de cenas do jogo de 2013, emendando-as em conclusões "originais" muitas vezes estúpidas e desnecessárias.

O filme tem pontos TÉCNICOS bons na produção, mas é só.

Se você é fã, se prepare para receber exatamente o que venho avisando que viria desde o anuncio de Alicia Vikander como Lara.

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

SPOILER

Puta que pariu! Que porra é aquela do "telefone da organização do mal" que o vilão usa para chamar um helicóptero para levar a ARMA BIOLÓGICA MAIS TERRÍVEL QUE O MUNDO JÁ VIU, mas que nem precisou ser tomado e recebeu os refugiados e heróis, levando-os rumo ao horizonte, de volta para os braços de suas famílias. VSF!

OBS: Nós três, eu, minha esposa, Raquel e meu filho Danilo.

Ler 216 vezes Última modificação em Quarta, 21 Março 2018 09:18

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Siga-nos

Newsletter

Cadastre-se e receba nossos informativos.

Enquete

Qual desses possíveis candidatos você considera o melhor para o Ceará?
© 2017 Ceará em Off. Todos os direitos reservados.Designe e Programação Equipe CEOFF

Procurar